Pesquisa

31 de mar de 2017

O Sacerdócio de Umbanda - Por: Anna Ponzetta


O Xamanismo é a expressão primeira da religiosidade do ser humano, é uma expressão natural a do Xamanismo primitivo. O Xamanismo mostra que a expressão do êxtase, do transe religioso, do estado alterado de consciência, vai muito além daquilo que classificamos e rotulamos como mediunidade.

O Xamã é alguém que se torna Xamã por dois caminhos, ele é um homem normal, comum, que passa a ter dificuldades emocionais, espirituais, ele vê coisas, ele sente coisas e muitas vezes ele fica até doente com doenças que não têm explicação, isso se conhece por doença Xamânica.

As "Oxuns" do mundo real: a Tradição das Mulheres na Umbanda


No início dos tempos, antes mesmo do mundo ser mundo, aconteceu no Orum (morada das divindades celestiais iorubás), uma rebelião dos deuses contra o deus supremo, Olorum. Tendo sua autoridade questionada e desafiada por seus próprios filhos, Olorum decretou que, a partir daquele momento, não iria cair mais nenhuma gota de chuva no Aiê (a terra, morada dos homens).

O Legado de Benjamin Figueiredo na Umbanda - Por: Sergio N. Teixeira


Introdução

Escrever sobre Benjamin Gonçalves Figueiredo não é apenas falar do homem e do médium, porque sua vida se mistura com a mensagem e com a obra de seu mentor espiritual, um dos mais importantes dirigentes espirituais da Umbanda: o magnífico Caboclo Mirim. Ambos serão para sempre um exemplo edificante de amor ao próximo e de luta pela dignidade do culto umbandista.

Em um momento histórico-cultural difícil para a Umbanda, Benjamin Figueiredo foi um dos principais expoentes no movimento pela evolução do culto e pelo reconhecimento das casas umbandistas junto às autoridades de seu tempo, estando lado a lado de alguns dos incansáveis guerreiros dos primeiros anos da nossa querida Umbanda, tais como: Zélio Fernandino de Moraes, Domingos dos Santos, João Carneiro de Almeida, José Álvares Pessoa, Manoel Nogueira Aranha, João de Freitas, Cavalcanti Bandeira, Cícero Bernardino de Melo, Narciso Cavalcanti, Félix Nascente Pinto, Jerônimo de Souza, Henrique Landi Júnior, Matta e Silva, Tancredo da Silva Pinto, Átila Nunes (pai), Omolubá, Flavio da Guiné, dentre outros.
Por toda uma vida voltada à unificação dos umbandistas, Benjamin Gonçalves Figueiredo deixou registrada em nossa memória as lembranças do incansável líder, do médium admirável de Caboclo Mirim e de Pai Roberto e do homem cuja integridade e ideais em muito superaram os seus dias, nos trazendo até os dias de hoje os ecos de uma bela mensagem de fé e de determinação em tirar a Umbanda da marginalidade a qual esteve relegada pela sociedade brasileira até meados do século passado.

29 de mar de 2017

"O Cantar das Folhas*; tradição que deve ser preservada na Umbanda - Por: Norberto Peixoto


Antigamente quando se macerava as folhas para as lavagens de cabeça ou para banhos mais diversos, tínhamos o hábito de cantar. Dependendo da folha era entoado um determinado cântico. Mesmo o ritual do amaci – lavagem de cabeça -, dito tradicional por conservar um método que se repete e se mantém inalterado no tempo, já não é tão idêntico como os do passado. Vivemos um tempo difícil, de “ausência” de tempo, rotina de correria e muita pressa. Impossível determinar-se com precisão, a época em que os médiuns umbandistas tinham mais tempo, inclusive para se reunirem calmamente e cantarem macerando as folhas litúrgicas.

Entendendo a Numerologia Pitagórica


Os números tão usados pelos céticos racionalistas adeptos das ciências exatas, para quem 1+1 é igual a 2, também possui o seu lado subjetivo e simbólico  e é uma ferramenta do auto conhecimento. Sendo assim tem um lado ciência, já que tem uma metodologia sistemática na sua aplicação, para desvendar, revelar um significado interno de um resultado onde existe uma vibração e sintonia, pelo fato de um nome, letra, número ter um valor vibracional, que leva a uma tendência energética. Neste caso, uma palavra VIBRA, de acordo com um número numa escala de 1 até 9 e um número possui um valor VIBRACIONAL.

Os Fundamentos do Congá


O Congá é o mais potente aglutinador de forças dentro do terreiro: é atrator, condensador, escoador, expansor, transformador e alimentador dos mais diferentes tipos de energias e magnetismo. Existe um processo de constante renovação de axé que emana do congá, como núcleo centralizador de todo o trabalho na umbanda.

28 de mar de 2017

3 Poderosas Orações para Yemanjá

Acompanhe abaixo 3 gloriosas orações a Yemanjá, a Rainha do mar e um ritual para fazer em casa:

Emoções negativas geram dores crônicas no corpo


Emoções negativas devem ser evitadas, com isso praticamente todos concordam. O que muitos ainda não perceberam é que somos seres completos e tudo o que nos compõe – corpo, mente e espírito – é ligado de tal forma que a deficiência de um pode afetar os demais.

Um grande exemplo disso é a conclusão da doutora em psicologia Susanne Babbel.  Depois de um minucioso estudo, a especialista concluiu que boa parte das dores crônicas que sentimos não tem nada a ver com doenças graves ou lesões anteriores. São as emoções negativas as causadoras!

O Efeito Sombra - Por: Ravena


A sombra é um termo utilizado na psicologia para definir nosso lado oculto, nossos defeitos, nossos medos, complexos, aquilo que acreditamos ser feio e escondemos dos outros. É aquilo que não queremos ver, o lado negro, uma energia que nos prejudica, sentimos a sombra como uma parte negativa da nossa personalidade.

São aspectos de nós mesmos que tentamos a todo custo negar, esconder e este não é o melhor caminho, esconder a sombra é o mesmo que deixá-la na escuridão, quando o que nos ajudará, será trazê-la para a luz, ou seja, ter consciência do nosso lado negro, de nossas sombras, pois só assim poderemos crescer.

8 de mar de 2017

História do Movimento Umbandista - Por: F. Rivas Neto

Por: F. Rivas Neto

O Movimento Umbandista surgiu no final do século XIX, utilizando-se como cenário os cultos miscigenados de negros, índios e brancos, conhecidos como macumbas, candomblés, catimbós, torés, xambás, babassuês, xangôs, etc. Nesse contexto, começaram a se manifestar entidades espirituais, através da incorporação, nas formas de índios (Caboclos) e de Pais-Velhos trazendo as mensagens dos espíritos ancestrais desses povos. O processo do sincretismo facilitou a inclusão da cultura católica pela assimilação dos santos com as divinidades do panteão africano e ameríndio. Logo apareceriam também as entidades que se apresentavam como Crianças, completando o ternário de manifestação mediúnica que serviria de base para a sustentação da doutrina umbandista. 

7 de mar de 2017

Como foi que nos transformamos em vitrines?


Por: Paulo Ghiraldelli

Há algo errado com quem não tem seu Facebook ou, no mínimo, seu Twitter. Afinal, o que se está querendo esconder ao desaparecer das redes sociais? Que tipo de doença tem essa pessoa que ousa querer preservar sua privacidade num mundo em que todos os prêmios estão voltados para a mulher-vitrine e para o homem-vitrine? É isso mesmo: vivemos a era de desconfiança não mais em relação a quem escancara gostos íntimos e vida privada. Ao contrário, estranhamos quem não queira se comportar como artista de novela ou jogador de futebol, sempre cativos da necessidade de estarem nas revistas de fofocas. Holofotinhos para nós todos.