9 de dez de 2016

A História de Rubens Saraceni


Homem simples, tranquilo e de sorriso fácil, é até hoje o autor umbandista mais lido no Brasil. Foi Sacerdote Umbandista, criou o Colégio de Umbanda Sagrada ''Pai Benedito de Aruanda" onde ministrou cursos de desenvolvimento mediúnico, teologia e sacerdócio, por meio dos quais se formaram adeptos, dirigentes e ministrantes do ensino religioso umbandista. 

Mestre de Magia Divina e idealizador do Colégio Tradição de Magia Divina, pôde iniciar mais de dez mil praticantes da Arte Real, num curto período de dez anos.

Manteve o programa Magia da Vida pela Rádio Mundial. Em suas atividades ''de terreiro '', ao lado de sua esposa Alzira Saraceni e das Filhas Graziela e Stela,  cuidou de mais de 500 médiuns recebendo semanalmente uma média de 1.500 "consulentes” frequentadores de seu templo.

Nascido no município paulista de Osvaldo Cruz, em 1951, foi batizado e crismado no catolicismo. Cresceu em ambiente rural, no qual aprendeu com sua avó e sua mãe a benzer e fazer rezas que curavam as pessoas da região. Em 1963, mudou-se para a Vila Matilde na cidade de São Paulo, onde, ao lado de sua residência havia um "Centro de Umbanda '' em que teve o primeiro contato com a religião.

Anos mais tarde, viria a participar de um Centro Espírita sob a direção do Sr. Francisco, ''Seu Chico", tio de sua cunhada. Rubens revela que a primeira entidade a se manifestar, por meio de sua mediunidade na "mesa branca" foi Exu, ou melhor, o seu ''querido Exu Cascavel", apontando qual seria o seu caminho dentro da espiritualidade.

Passou a trabalhar mediunicamente no Centro de Umbanda de Ogum Megê 7 Espadas, dirigido pela saudosa sacerdotisa Olga de Barros, filha espiritual do saudoso Pai Jaú, precursor da Umbanda paulista.

Já pelos idos de 1983, por orientação de seus mentores, deu início aos trabalhos de Umbanda em sua própria residência, que logo se tornou um terreiro devido ao número de pessoas que o procuravam para se desenvolver mediunicamente e centenas de consulentes em busca de uma orientação espiritual.

Fundou-se a Tenda de Umbanda Ogum Beira Mar e Pai João da Mina. Nesse momento as responsabilidades aumentaram, levando-o ao encontro de Pai Ronaldo Linares, com a intenção de federar-se a FUGABC - Federação Umbandista do Grande ABC.

Pai Ronaldo, presidente dessa federação, recomendou, além da filiação, o Curso de Dirigentes de Terreiro e Sacerdócio ministrado por ele com auxílio de Baba Esmeralda, Baba Dirce e Pai Diamantino Trindade entre outros. Desde 1987 Rubens Saraceni foi filho espiritual de Ronaldo Linares.

Começou a psicografar no ano de 1990, e em 1992 Pai Benedito de Aruanda pediu que "fechasse para o externo e abrisse para o interno”, pois daria início a uma nova missão. Mudou-se para Uberlândia, dedicando todo seu tempo livre a esta nova atividade, a psicografia umbandista.

Seu filho espiritual, Pai Nilson, preparado por Rubens Saraceni nesse primeiro período de caminhada umbandista, mantém até hoje os trabalhos da tenda fundada por ele naquela época.

Em 1991, Rubens publicou seu primeiro título, por conta própria, Hash-Meir – O Guardião dos Sete Portais. Em 1995, volta a São Paulo com mais seis títulos publicados (O Guardião da Meia-Noite, O Cavaleiro da Estrela Guia, O Ancestral Místico, Diálogo com um Executor e Umbanda – O Ritual do Culto a Natureza), trazendo na bagagem mais de 60 títulos que esperam cada um deles, a hora certa de vir ao público.

Esses primeiros títulos causaram grande impacto na comunidade umbandista e espiritualista em geral, especialmente “O Guardião da Meia Noite” que conta de forma romanceada, a história de um Exu Guardião, mostrando sua encarnação, desencarne, queda e ascensão no astral, assentando-se nas Linhas de Lei da Umbanda.

Podemos dividir sua literatura entre livros romanceados, doutrinários e de magia, a maioria deles publicados pela Madras Editora.

Entre os romances, encontramos um conjunto de títulos voltados ao esclarecimento do que é o Guardião na Umbanda, revelando Mestres do Astral que estão para além do tempo e do espaço umbandista. Participaram da criação da Umbanda no astral e nela permanecem e se manifestam por opção, acompanhando médiuns e templos dedicados a "prática do espírito para a caridade", como diria o Caboclo das Sete Encruzilhadas.

Alguns romances demonstram a forma de trabalhar das entidades de Umbanda no mundo dos espíritos e outros apresentam contos que não se relacionam diretamente com a Umbanda, mas com diferentes encarnações de entidades que hoje militam nesta religião. O objetivo é apresentar histórias de vida que possam nos ajudar na condução de nossas vidas frente às dificuldades.

Muitos umbandistas o procuraram com a intenção de entender melhor a Umbanda e beber na fonte dos ensinamentos, transmitidos por seus mentores via psicografia. Nesse momento, Pai Benedito de Aruanda esclareceu uma outra parte de sua missão: levar o conhecimento e o preparo necessário para aqueles que viessem ao seu encontro com este objetivo: estudar a religião de Umbanda de uma forma teórica.

Foi iniciado o estudo teológico umbandista, sob a orientação do astral, com objetivo de criar uma consciência teológica umbandista, para um entendimento mais amplo da mesma enquanto religião. Esse estudo não visou formatar ou ensinar como devem ser os trabalhos espirituais, e sim a revelação dos mistérios ocultos nestas práticas aparentemente simples de Umbanda, fundamentada em uma ciência divina que dá sentido a cada um dos elementos em sua liturgia.

Em 1996, começou a ministrar o Curso de Teologia de Umbanda Sagrada, na garagem de sua casa, mesmo espaço onde recomeçou o atendimento mediúnico, junto a um pequeno grupo de médiuns que se disponibilizou para colaborar nesta tarefa. Costumava dizer que não era um terreiro ainda, mas apenas um trabalho assistencial realizado a pedido de seu caboclo; o Sr. Arranca Taco.

Costumava atender cerca de 300 pessoas semanalmente, nesse espaço limitado. Mesmo nos dias de aula, centenas de alunos se aglomeravam para ouvi-lo e no final lhe pediam auxílio para este ou aquele problema. Boa parte desses alunos reclamava de demandas espirituais, trabalhos feitos ou situações em que percebiam uma influência negativa em suas vidas. Alguns alunos eram convidados a vir nos dias de atendimento espiritual; esporadicamente, alguma entidade se manifestava fora desses dias prescritos; no entanto, quando se fazia necessário, Rubens atendia com Pontos Riscados e Mandalas feitas com pemba, velas, ervas e pedras.

Já era um trabalho de Magia que vinha praticando além da Umbanda. Seu mentor, o Mestre Seiman Hamiser-yê, vinha preparando-o havia anos para a abertura da Magia Divina no Plano Material. Riscava espaços mágicos, muito semelhantes aos de Umbanda, com símbolos conhecidos e outras vezes desconhecidos a nós. Acendia as velas, e ajoelhado fazia uma espécie de prece ou invocação que dava vida a esta magia. Colocava o aluno dentro de tal espaço, onde se realiza um procedimento para a limpeza espiritual, descarga de energias negativas, corte de ligações nocivas, atração de bons fluidos, etc. A curiosidade sobre tal prática era muito grande, mas apenas em 1999, recebeu autorização de iniciar outras pessoas em Magia Divina, começando pela Magia do Fogo.

Rubens, nesse período, começou a viajar ao interior para ministrar Teologia de Umbanda e da Magia do Fogo. Com o primeiro curso, os alunos se sentiam seguros e esclarecidos com relação a Umbanda, e com o segundo se capacitavam para descarregar pessoas e ambientes, cortar e neutralizar magias negativas, mesmo quando desincorporados, facilitando uma maior desenvoltura espiritual e tranquilidade ao lidar com os choques e demandas tão característicos na Umbanda.

Tão logo se estabeleceu na Zona Leste, no bairro do Belenzinho, os trabalhos mediúnicos e os cursos continuaram a se expandir, atraindo e preparando novos adeptos, simpatizantes, médiuns e sacerdotes para a Religião de Umbanda.
Com o tempo, prosseguiu nos estudos de Magia Divina abrindo ao Plano Material outros graus de Magia, como Magia das Pedras, Ervas, Anjos, Gênios, Elementais, Cores, Conchas, Raios, Mantos, Espadas, Giros, Eixos, Símbolos e Pós.

Graças a um trabalho árduo, dedicação e determinação, em parceria com a Madras Editora e seu presidente Wagner Veneziani Costa, a literatura umbandista passou a ser vista com outros olhos. Hoje encontramos títulos de Umbanda nas grandes livrarias e mais médiuns de Umbanda vêm se dedicando à psicografia. O interesse pelo estudo teórico e prático da religião vem crescendo, o que é fundamental para a expansão da religião, a conquista de novos espaços e do respeito da sociedade em geral.

Fundou a AUEESP - Associação Umbandista e Espiritualista do Estado de São Paulo , cujo objetivo é reunir os templos que atuam com a Umbanda Sagrada e ensinamentos de Rubens Saraceni.
Fumante desde os 20 anos de idade, largou o vício após o diagnóstico de câncer. Veio a desencarnar no dia 09 de março de 2015, aos 63 anos devido a um enfisema pulmonar.

A postura de Rubens Saraceni foi ímpar e seu trabalho, exemplar. Como pai de família, sabe-se o quanto se abdicou para se dedicar religião, e como pessoa concentrou esforços “sobre humanos” para a realização das tarefas por ele assumidas, dentro e fora da Religião.


Fonte. umbandasagradatupa.com.br

6 comentários:

  1. Tenho muita gratidão por ter conhecido e sido aluno deste homem tão iluminado.

    ResponderExcluir
  2. Conheci Pai Rubens. A Umbanda carece de pessoas com a mesma simplicidade que ele teve em sua passagem terrena.

    ResponderExcluir
  3. Gratidão eterna ao amado mestre!

    ResponderExcluir
  4. Foi o divisor de água para mim na um banda, hoje posso dizer que sou um multiplicador de muito que ele nos proporcionou!

    ResponderExcluir

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...