Pesquisa

30 de nov de 2016

Vídeo: Lindo diálogo com Pai Joaquim de Ângola


Nesse vídeo magnífico (abaixo), o Médium e Sacerdote de Umbanda Fernando Parada da Casa Tríade Nossa Umbanda dá passagem para Pai Joaquim de Angola. Pai Joaquim fala sobre inúmeros assuntos, dentre eles a vida dos animais e sua importância para o equilíbrio da natureza, sobre sacrifício animal, sobre a linha de trabalho e a simplicidade dos Pretos Velhos na Umbanda, a importância dos mais velhos na vida dos mais novos e muito mais.

Traz uma reflexão sobre a necessidade dos seres humanos despertarem para questões urgentes de nossa existência. 


Entenda o que é Reencarnação dos Espíritos Humanos


Reencarnação é o processo pelo qual o espírito, estruturando um corpo físico, retorna, periodicamente, ao polissistema material. Esse processo tem como objetivo, ao propiciar vivência de conhecimentos, auxiliar o espírito reencarnante a evoluir.

A Minha Fé - Por: Paulo Ludogero


A minha fé - ensina que somente através da prática da caridade nós podemos evoluir...

A minha fé - Não aceita a intolerância religiosa...

A minha fé - Não aceita que eu entre em um templo religioso, seja ele qual for, e ataque sua forma de crença...
A minha fé - Entra, pobres, ricos, negro, branco, amarelo...

A minha fé - Não me proíbe de ir em casamentos, batizados, de ir a festas em outros cultos religiosos...

A minha fé - estimula a respeitar todas as formas de crença, a minha fé estimula a respeitar e entender como que as outras religiões entendem o sagrado, pois o sagrado também está nelas.. e se o sagrado esta nelas, eu tenho que respeitar...

A minha fé - Não compactua com violência...

A minha fé - Permite que eu receba orações de irmãos de outras religiões, novenas, correntes, vigílias e intenções a meu favor...

A minha fé - Me ensina a ver o melhor dentro de cada pessoa, a minha fé me ensina a entender as pessoas, me estimula a ser uma pessoa melhor...


Essa é a minha fé, a minha fé se chama Umbanda e eu sou feliz por ser umbandista...


Pai Paulo Ludogero

29 de nov de 2016

Oração aos Boiadeiros


"..Tu que guia teu gado pelas porteiras dos caminhos de Ogum, que passa por rios, sob sol e chuva com seu berrante a anunciar tua chegada, com teu chicote em punho, hábil com o laço e não deixa demanda criar, ajuda-me nesta hora, abra as porteiras de meus caminhos, traga no teu laço aqueles que me querem mal, que na sua chibata haja justiça de minha causa...
...Que eu encontre em meus caminhos a solução para os meus pedidos.
...Que Oxalá nos abençoe sempre, Assim seja..."
.Xetruá Boiadeiro!!

Tragédias coletivas na visão do Espiritismo


De vez em quando ocorrem grandes tragédias coletivas e é nessas horas que perguntamos: por que acontece esse tipo de coisa? Qual a finalidade desses acidentes que causam a morte conjunta de várias pessoas? Como a Justiça Divina pode ser percebida nessas situações? Por que algumas pessoas escapam?

Firmeza para Exu e Pomba Gira - Vídeo: Alexandre Cumino


Alexandre Cumino é graduado em Ciência das Religiões, editor-chefe do Jornal de Umbanda Sagrada, se dedica a pesquisar a Umbanda há muitos anos, o que gerou o livro “Deus, Deuses, Divindades e Anjos” publicado em 2008. É sacerdote e dirigente do Colégio de Umbanda Sagrada Pena Branca, onde ministra cursos presenciais e a distância pela plataforma UmbandaEAD. Em 2010 lançou o livro “História da Umbanda – Uma religião brasileira”, pela Editora Madras.


No vídeo abaixo, o mestre Alexandre Cumino fala sobre fundamentos e também nos passa uma prática com firmeza de nosso Exu e Pomba Gira:


A História de Santo Expedito

Santo Expedito não tem uma data de nascimento conhecida. Sabe-se que ele era Romano. Sabe-se também que foi Senador de Roma, Príncipe-Consul do Império Romano na Armênia, militar, Comandante da XII Legião Romana e, mesmo nessa condição, converteu-se ao cristianismo.

28 de nov de 2016

A História da famosa "Prece de Cáritas"


A prece de Cáritas tem sido constantemente orada por várias gerações de espíritas, umbandistas e espiritualistas de diversas partes do globo. Quando recitada com a entonação correta, é uma prece de proteção extremamente eficaz, mesmo para iniciantes.

27 de nov de 2016

Samba "Vai-Vai" 2017 é gravado no Santuário Nacional de Umbanda


Vai-Vai 2017. A Escola de Samba Vai-Vai, tradicional agremiação do samba paulista, homenageará Mãe Menininha do Gantois na passarela do samba em 2017. Destaque para o vídeo oficial abaixo, com o enredo da Vai-Vai 2017 gravado no Santuário Nacional de Umbanda, comandado por Pai Ronaldo Linares, um dos principais nomes vivos da Umbanda no Brasil.

O Santuário está localizado na cidade de São Bernardo do Campo, região metropolitana de São Paulo, e é um dos grandes espaços para a prática religiosa da Umbanda e de outras religiões de matriz africana.

Confira abaixo o samba-enredo da Vai-Vai 2017:

25 de nov de 2016

Umbanda Sagrada


Com este post encerramos nossa série "Vertentes da Umbanda", ao total dedicamos sete textos para falarmos um pouco de algumas "umbandas", relacionamos conceitos, opiniões e tentamos da maneira mais adequada à um blog passar um pouco deste universo tão multicultural que é a religião umbandista.

Umbanda Universalista


Muito se credita ao movimento umbandista, a personalidade "universal", associada ao sentido de congregar todos aqueles que recorrem à Ela, independente de suas raízes culturais, religiosas, políticas, sociais ou de preferências nas questões da sexualidade. A Umbanda está aberta a todas as consciências em favor do auxílio ao próximo, condição essa, anunciada pelo Caboclo das Sete Encruzilhadas, entidade fundadora da religião...

"todos serão ouvidos e nós aprenderemos com aqueles espíritos que souberem mais e ensinaremos os que souberem menos e a nenhum viraremos as costas e nem diremos não"

Umbandaime


Voltando aos nossos estudos na série sobre as "Vertentes de Umbanda", nesta postagem, tentaremos abordar segundo nossa compreensão o movimento conhecido como Umbandaime, que é a fusão ou união, das religiões Santo Daime e Umbanda. Afinal para conhecermos este universo devemos primeiramente sabermos um pouco mais à respeito da cultura do Santo Daime, o que é ? Quando e onde surgiu? Quais as pessoas e circunstâncias? Quando começou o envolvimento com a Umbanda ? Enfim, vamos tentar "costurar" os fatos e questões desse movimento que hoje é reconhecidamente uma das vertentes de Umbanda.

24 de nov de 2016

Umbanda de Jurema


Avançando um pouco na série "Vertentes de Umbanda", chegamos ao nosso quarto "encontro" com a delicada missão, tratarmos a Jurema Sagrada dentro da dinâmica Umbandista ou vice e versa. Em breves parágrafos delinear aos leitores conceitos básicos e imprescindíveis sobre este universo será nossa missão, salientamos que este exercício é apresentado pelas informações colhidas por diversas fontes e representam nosso particular entendimento.

Umbanda Popular


Neste terceiro texto da série "Vertentes de Umbanda", abordaremos a Umbanda Popular como um dos grandes troncos de segmentos existentes na religião. Para isso, esclarecemos mais uma vez, que nossas abordagens refletem pesquisas em diversos canais tais como, livros e artigos, nossas conclusões não refletem a absoluta verdade, apenas os nossos entendimentos das questões estudadas.

23 de nov de 2016

Umbanda Omolokô


Continuando a série "Vertentes da Umbanda" , iniciada a partir da publicação "Umbanda Esotérica e Iniciática" onde passeamos segundo nossos entendimentos pelos principais acontecimentos que desencadearam o movimento esotérico e iniciático, a partir de seus percursores seguindo estudos bibliográficos, artigos e textos pela internet. O estudo das vertentes da Umbanda passa também pela compreensão de alguns fatores causais que contribuíram para eclosão dos diferentes segmentos.

Umbanda Esotérica e Iniciática


Abordar temas relacionados ao universo da Umbanda nem sempre é tão fácil ou simples como muitos pensam ou tentam mostrar, nela verificamos uma diversidade de pensamentos que são traduzidos em uma pluralidade infinita de ritos. Ao falarmos destes temas devemos ter responsabilidade e clareza de idéias, sabermos diferenciar as coisas e creditar corretamente seus pontos principais, é isso que buscamos nessa "série" e convidamos os leitores independentemente das suas opiniões formadas à mergulharem conosco neste estudo que é também um resgate histórico da religião.    

21 de nov de 2016

Um breve Ensaio Sobre a Intolerância - Por: Pablo Araújo


A intolerância passa a existir quando a crença e a convicção da verdade se abala diante do questionamento que busca um momento de sabedoria. A arrogância e a cólera são frutos do medo do questionamento que revela ignorância, despindo assim a indumentária ou vestimenta "sacra" que encobre com a soberba a alma frágil, que trêmula recorre a violência, qualidade ímpar nos animais irracionais. 

Anjo da Guarda: Fundamento e prática na Umbanda - Vídeo: Alexandre Cumino


Alexandre Cumino é graduado em Ciência das Religiões, editor-chefe do Jornal de Umbanda Sagrada, se dedica a pesquisar a Umbanda há muitos anos, o que gerou o livro “Deus, Deuses, Divindades e Anjos” publicado em 2008. É sacerdote e dirigente do Colégio de Umbanda Sagrada Pena Branca, onde ministra cursos presenciais e a distância pela plataforma UmbandaEAD. Em 2010 lançou o livro “História da Umbanda – Uma religião brasileira”, pela Editora Madras.

No vídeo abaixo, o mestre Alexandre Cumino fala sobre fundamentos e também nos passa uma prática com firmeza de nosso Anjo de Guarda :


Empoderamento Umbandista



Na Sociologia, o empoderamento é uma ação de grupos sociais que buscam reconhecimento jurídico, político e principalmente cultural dentro da sociedade. Uma ação que parte de um posicionamento dos indivíduos desses grupos, indivíduos que buscam uma integração ou adesão intelectual dos aspectos gerais de sua cultura para disseminação através de uma ação cívica seja ela de qual natureza for como midiática, artística, panfletária, etc.

18 de nov de 2016

Evolucionismo vs Criacionismo (A Ciência Umbandista) - Por: Fernando Ribeiro


A Umbanda nasceu dentro do território brasileiro, numa manifestação espiritual do Caboclo das 7 Encruzilhadas através da mediunidade de Zélio Fernandino de Moraes no Rio de Janeiro. Porém, socialmente ela foi no início do século XX, um movimento que proclamava um viés ímpar dentro do que se conhecia como religião no Brasil.

As três correntes predominantes até então eram o Cristianismo, o Candomblecismo e o Kardecismo. 
O Cristianismo nos lembrava nossos antepassados Europeus, seus dilemas morais, suas culpas e suas aspirações ao paraíso perdido. O Candomblecismo carregava um teor cultural que nos levava a refletir sobre nossas raízes africanas, nossas origens e nossa miscigenação como fruto de uma corruptela que não poderia deixar pra trás o valor dos antigos ensinamentos. E o Kardecismo vinha trazer uma metodologia analítica a respeito de como funcionava o fenômeno espiritual nas mais variadas religiosidades, tendo como pano de fundo a visão do evangelho cristão.

15 de nov de 2016

Umbanda - 108 anos de Existência



Na vida sou andarilho, e da Umbanda sou servidor
Por ela não meço esforços, pois junto dela aprendi o que é o amor

Mãe doadora de mistérios e purezas
É um caminho de caridade, de luz..da natureza
É afago, conselho, é colo e paz
É movimento e canção, ritmo dos Orixás

É a firmeza do Boiadeiro, a malemolência do Baiano
É o Exu que abre caminho, é Marinheiro que desce cantando
É o Vovô que fala baixinho, e é som de Caboclo assobiando
É Erê que está sempre sorrindo, é gira boa de nossos Malandros
É canto sereno de Sereia e axé gostoso de Ciganos...

Parabéns Umbanda...

108 anos de existência ensinando a andarilhos como eu o caminho por onde traçar as rotas...
Eu te amo!



15 de Novembro, dia Nacional da Umbanda


Porque Milhões de brasileiros escolheram 15 de Novembro como o DIA NACIONAL DA UMBANDA

O CONSELHO NACIONAL DELIBERATIVO DA UMBANDA-C.O.N.D.U. – por intermédio de sua representante no Estado do Amazonas, a Cruzada Federativa Espírita de Umbanda,  tomou conhecimento do comentário da sessão “Umbanda – Quimbanda”  do jornal  “ A Notícia”,  de Manaus,  em 11 do corrente mês,  sob o título “Escolha Justa”,  no qual se lê que  “ a suposta escolha de 15 de novembro para ser considerado o Dia da Umbanda,  sugerida num encontro umbandista, no Rio de Janeiro, vinha decepcionando”… e que  “a data diz respeito à  Proclamação da República,  nada tendo a ver com a Umbanda, o que significa que foi sugerida por profanos,  por quem desejava apenas homenagear um centro”… ”Os umbandistas amazonenses disseram que o 13 de Maio,  data da libertação dos escravos é realmente a mais indicada”.

11 de nov de 2016

A História de São Benedito


São Benedito nasceu perto de Messina, na ilha da Sicília, Itália, no ano de 1526. Benedito significa abençoado. Seus pais foram escravos vindos da Etiópia para a Sicília. Era filho de Cristovão Manasceri e de Diana Larcan. O casal não queria ter filhos para não gerarem mais escravos. O senhor deles, sabendo disso, prometeu que, se eles tivessem um filho, daria a ele a liberdade. Assim, eles tiveram Benedito. E, como prometido, ele foi libertado pelo seu senhor ainda menino.

9 de nov de 2016

Mediunidade na Umbanda


Não é fácil ser médium e mais difícil ainda é ser médium de Umbanda.

A mediunidade é o elo de ligação, o caminho e a meta das pessoas possuidoras desse dom. E longe de ser um instrumento passivo, o médium, como mediador que é, tem o dever de buscar o auto-aprimoramento e a “reta conduta” pois, esses são os sintonizadores maiores da mediunidade. É como disse o mestre: "Uma árvore má não pode dar bons frutos"… e é plantando que se colhe, ou seja, nossas afinidades refletem o nível e o tipo de espíritos que atraímos para nosso campo mediúnico.

8 de nov de 2016

Ogãs na Umbanda – Por: Gustavo Reis


A palavra Ogã vem do Yorubá e significa Senhor da Minha Casa. Não é para menos, pois o Ogã – médium responsável pelo canto e pelo toque - ocupa um cargo de suma importância e de responsabilidade dentro dos rituais de Umbanda, que é o de conduzir a Curimba – conjunto de vozes e toques do atabaque - ajudando nos trabalhos espirituais para que possam ser fortes e bonitos. Os ritmos (toques) e cantos realizados pelo Ogã, pode-se dizer que nos dias de hoje, são parte integrante de um Centro de Umbanda.

7 de nov de 2016

Sobre caridade na Umbanda



Muito falamos sobre caridade na Umbanda, Certo? Mas que caridade é essa?
Não são raros os que querem e dizem que precisam praticar a caridade. E por caridade fica subentendido trabalhar em giras no terreiro incorporando uma entidade e dando consultas e passes aos consulentes.

Mas seria isso a caridade? Não estaria faltando algo a mais nessa perspectiva?

O mundo mudou, e a Umbanda deixou de ser uma religião marginalizada como antes, e hoje pode falar por si e pelos seus adeptos com orgulho de ser uma das únicas religiões genuinamente brasileira. Os umbandistas não se encontram mais a mercê de julgamentos de crentes de outras religiões logo que o conhecimento está acessível a todos, e chamar Umbanda de magia negra, coisa do demônio, manifestação de espíritos do baixo astral nada mais é hoje do que única e exclusivamente anacronismo.

4 de nov de 2016

O Poder do Manjericão


Há séculos que o manjericão é conhecido e utilizado por diversas culturas, para diversos fins, sejam místicos, religiosos, medicinais ou culinários. É reverenciado como uma planta imbuída de essência divina e, por este motivo, os indianos costumam jurar sobre um raminho desta planta em seus depoimentos nos tribunais de justiça. Consta que crescia manjericão ao redor do túmulo de Jesus Cristo, após sua Ressurreição, e por isto nas Igrejas Ortodoxas Gregas benze-se a água com suas folhas e muitos vasos da planta ornamentam os altares.

2 de nov de 2016

A Diferença entre Omolu e Obaluaê


Em termos mais estritos, Obaluaê seria a forma mais jovem do Orixá Xapanã, enquanto Omolu a sua forma velha. Como porém, Xapanã, no início da formação dos cultos afro brasileiros era proibido tocar em seu nome fora dos terreiros, não devendo ser mencionado, pois poderia atrair suposta doença inesperada.

Assim, a expressão Omolu é a que mais se popularizou e acabou sendo confundida não apenas com a forma mais velha do Orixá, mas com sua essência genérica em si. Esta distinção se aproxima da que existe entre as formas básicas de Oxalá: Oxalá (o Crucificado), Oxaguiã a forma jovem e Oxalufã a forma mais velha.