30 de nov de 2015

Mulheres nos Terreiros

Irmãos leitores,

Houve época em que as médiuns eram proibidas de ser diri­gentes espirituais, sacerdotisas, mães, etc, mesmo que elas já estives­sem preparadas. Nesta época elas não podiam ser ogãs, ou seja, aquelas que tocam ou assu­­mem a responsabilidade da Curim­ba (atabaques) do Terreiro.

Assim que soubessem da sua gravidez eram afastadas, pois as mes­mas não poderiam trabalhar na corrente. E quando essa mulher incorporava, Guias masculinos precisavam amarrar-lhe um pano em seu corpo para blo­que­ar as energias femininas.

29 de nov de 2015

O sentido da Vida

Outro dia, estava dando uma palestra, quando alguém me fez “aquela” pergunta: professor, por que o senhor é cientista? Respondi que não podia ser outra coisa, que considerava um privilégio poder dedicar minha vida ao ensino e à pesquisa.

Mas o que de fato está por trás dessa profissão, ao menos para mim, é uma oportunidade única para criarmos algo de novo, algo que nos diferencie do resto.

São Cipriano e os Pretos Velhos

Muito se fala sobre São Cipriano mas poucos conhecem a história e a representação deste personagem tão controverso e tão misterioso. Muitos procuram os conhecimentos mágicos de São Cipriano mas poucos conhecem sua mais poderosa magia. Muitos pedem a São Cipriano mas poucos entendem seu real poder transformador. Portanto, hoje quero falar um pouco sobre a figura de São Cipriano e sua importante representação para a nossa Umbanda. 

Vamos lá: Tascius Caecilius Cyprianus, nasceu na cidade de Antioquia, na Turquia. Foi nesta cidade que, quando o Cristianismo era apenas uma pequena seita religiosa, Paulo pregou o seu primeiro sermão numa Sinagoga, e foi também ali que os seguidores de Jesus foram chamados de Cristãos pela primeira vez.

28 de nov de 2015

Nem sempre o primeiro Templo que nos acolhe será a sua “casa” dentro da Umbanda

Esta é uma frase muito ouvida dentro dos Templos de Umbanda e igualmente mal compreendida. Muitas vezes, quem a ouve chega a pensar que esta mediunidade é uma maldição em sua vida, que é uma praga ou um “karma”, enquanto a mediunidade é um dom e uma benção desconhecida.

A mediunidade é algo que o ser conquista ao longo de várias encarnações e o problema na vida não é o “ter” a mediunidade e sim o “não saber” como lidar com ela. E, claro, a mediunidade pode ser trabalhada de diversas formas, em lugares e filosofias diferentes de acordo com sua afinidade, mas é comum que os afins se atraiam e muitos que são afins com a Umbanda são atraídos para ela sem saberem que esta afinidade é algo real. 

Muitas vezes a Umbanda é seu lugar, mas nem sempre o Templo que lhe acolheu é o seu lugar dentro da Umbanda. Muitas vezes a Umbanda é um lugar desconhecido dentro de você e não um local físico a ser encontrado. Nem sempre o primeiro Templo que nos acolhe será a sua “casa” dentro da Umbanda. E como a virtude NUNCA pede recompensa, não existe dívida por caridade recebida, apenas o sentimento de gratidão e a liberdade de procurar seu Templo interno e externo, aquele que melhor puder lhe acolher de acordo com sua simpatia, empatia e afinidade.

A Umbanda lhe ensina a seguir seu coração; é um caminho de amor e liberdade, no qual não cabe o medo e a obrigação como peso para sua alma que venha a lhe acorrentar a uma situação ou lugar.


Por: Alexandre Cumino

27 de nov de 2015

6 Banhos para ‘zerar’ energias

Você já teve a sensação de que está carregando o mundo nos ombros? Alguma vez se interrogou por que, por mais que deseje algo, o seu sonho não se realiza? Ou sentiu que uma situação parece amarrada de uma tal forma que é impossível desatar o nó?

Se sim, pode ser que esteja precisando de um bom banho. As plantas possuem princípios ativos terapêuticos que há milênios são utilizados em rituais religiosos e de cura, aliviando energeticamente o sofrimento.

Manjericão, arruda, alecrim e muitas outras ervas, quando em contato com a pele, liberam vibrações energizantes, calmantes e até afrodisíacas. O sal grosso, por sua vez, é capaz de atrair para si a baixa energia, descarregando a pessoa de forma a ‘zerar’ sua vibração, deixando-a pronta para os passos seguintes, permitindo que o nosso campo energético fique em plena forma.

“Quando isso acontece, a frequência do nosso campo mental entra mais facilmente em contato com a vibração daquilo que queremos atrair”, explica a terapeuta holística Monica Dubeux, que, junto com fitoterapeuta e naturopata Deuse Mantovani, cedeu suas receitas favoritas de banhos para reportagem publicada no site Casa.com, do Grupo Abril.

As misturas devem ser usadas após o banho normal de higienização e, após derramadas, recomenda-se apenas se enxugar, “para que a ação desses elementos perdure e chegue ao nível mais sutil de limpeza”, disseram.

Confira os banhos clicando sobre os títulos abaixo:

Negros não são descendentes de escravos

O objetivo deste texto é desmascarar a secular tradição que insiste em afirmar que os negros brasileiros e americanos são descendentes de escravos. Tal costumeira afirmativa não é verdadeira. É apenas um pérfido jogo de palavras ideológico.

Ela é mantida apenas pelo interesse político em utilizar os segmentos afrodescendentes como massa de manobra servil, quer como mão de obra, quer como contribuintes alienados ou curral eleitoral.

Terreiro de candomblé é incendiado na região do Lago Norte/DF

O barracão incendiado fica dentro do templo Axé Oyá Bagan, mais conhecido como Casa da Mãe Baiana, no Núcleo Rural Córrego do Tamanduá.

Um barracão do templo Axé Oyá Bagan, de religião de matriz africana, foi incendiado na madrugada desta sexta-feira (27/11), no Núcleo Rural Córrego do Tamanduá, entre as regiões do Lago Norte e do Paranoá. O espaço também é conhecido como Casa da Mãe Baiana e fica dentro de uma chácara. As chamas tiveram início por volta das 5h. 

Segundo a produtora cultural Marta Carvalho, 44 anos, duas pessoas dormiam no local quando começaram a ouvir estalos. Em seguida, perceberam que tratava-se de um incêndio. Testemunhas contam que o fogo se alastrou rapidamente pela estrutura de madeira. "Perdemos tudo que estava lá dentro, inclusive as imagens", relatou Marta.

O Corpo de Bombeiros foi acionado. Uma equipe da corporação atuou até a extinção das chamas. Ninguém se feriu. Os militares fizeram perícia no local. O resultado do laudo deve sair em 30 dias.

Esse é o mais recente caso de ataque a terreiros na região do DF e Entorno. Em setembro, ao menos outros dois templos de religiões afro-brasileiras foram atacados: um em Santo Antônio do Descoberto (GO) e, outro, em Águas Lindas de Goiás (GO). Ambos foram incendiados, sendo que o primeiro já tinha sido alvo de outras ações.

No terreiro de Águas Lindas, vizinhos chegaram a avistar uma Saveiro. O carro derrubou o portão. As delegacias das regiões ainda investigam os casos. Ninguém foi preso desde então.

Segundo informações da Polícia Civil, até o momento, não há registro de ocorrência no sistema da corporação. A expectativa é de que o caso seja registrado na 9ª Delegacia de Polícia (Lago Norte).
Há suspeita de que o incêndio tenha sido motivado por intolerância religiosa. O ataque acontece uma semana depois das comemorações do Dia Nacional da Consciência Negra (em 20 de novembro).

Representantes da Subsecretaria de Igualdade Racial do DF e da Fundação Cultural Palmares  estiveram no local e vão acompanhar as investigações. 



















Fonte. correiobraziliense.com.br

Umbanda; O que faz?

Por: Adérito Simões

O que a Umbanda não faz? Esta é uma questão simples de ser respondida. A Umbanda não leva a vida de ninguém para trás. A Umbanda não aprisiona seus médiuns. A Umbanda não faz a maldade. A Umbanda não cultua o demônio. 

O uso do Adjá na Umbanda

Na Umbanda o adjá é utilizado em vários momentos, no desenvolvimento mediúnico, quando se prepara o amaci, a oferenda para os Orixás. Só pode ser usado pelo Dirigente Espiritual ou por alguém de extrema confiança do Dirigente.

Campainha desbloqueadora de campos mentais,ao ser tocado saem faíscas e raios,é propagador de energias,e pode ser usado para abençoar os filhos,fazer a limpeza das energias do Congá.

Geralmente o adjá é feito em 3 tipos de material: Latão, Aço e Cobre.

Transporte e Descarrego na Umbanda

Muito se fala sobre transporte e descarrego na Umbanda, mas poucos são os médiuns que sabem a diferença entre essas duas práticas tão comuns em nossos trabalhos assistenciais. Foi pensando nisso que resolvi colocar hoje para vocês, de maneira bem simples, o que é o transporte e o que é o descarrego na Umbanda, para que todos possam entender como cada um desses processos funciona e saber diferenciar um do outro.

26 de nov de 2015

Giz de Cera traz 12 cores de pele para a sala de aula

Muito antes de eu aprender o que significava a palavra ocre, eu conhecia aquele como o lápis “cor de pele”. O que pra mim não fazia o menor sentido. Tá, algumas pessoas que eu conhecia até tinham a pele daquele jeito, mas aquela não era a cor da minha pele.

Eu sempre fui branquinha, e representar a minha cor sempre foi complicado. O mais próximo que eu chegava da realidade era com o lápis salmão, e isso era quase que a minha cara de vergonha, não o meu real eu.

Se você já teve esse problema, ou conhece alguma criança que já lidou com isso, vai automaticamente entender a importância dessa caixa de giz da UniAfro. São 12 “cores de pele”, desde as mais claras até as mais diversas variações de cor de pele negra e mulata.

A ideia é parte de uma ação para escolas infantis, que distribuiu as caixas de giz para os professores do Rio Grande do Sul, em um curso sobre história e cultura africana, focado no corpo docente de escolas públicas.

A iniciativa foi tão bem recebida que agora a fabricante do giz de cera, a Koralle, colocou o item a venda na sua loja virtual. Cada caixinha com 12 cores de pele sai por 18 reais, e você pode comprar nesse link.

O bacana é que as crianças parecem ter curtido a ideia, e rapidamente perceberam que o novo kit de giz de cera melhorava a representação que eles queriam fazer.



Fonte. b9.com.br;
Foto por: Lidiane Dutra


25 de nov de 2015

O Terreiro, O Umbandista e sua Ética

Por: Adérito Simões

O umbandista possui uma casa que lhe serve de unidade de trabalho e aconchego de sua própria alma. Esta casa é chamada carinhosamente de terreiro.

O terreiro umbandista é o reflexo da qualidade inerente a toda e qualquer prática umbandista, ou seja, a humildade. A nenhum terreiro umbandista é dado o direito de ostentar a luxuosidade, de transparecer a soberba e tampouco a demonstrar a avareza. O terreiro de Umbanda deve ser limpo, deve ser harmonioso e deve refletir, em sua estrutura e em seu trabalho mediúnico, o íntimo daquela comunidade religiosa, o íntimo daquela corrente mediúnica.

A Umbanda e o Meio Ambiente

O Brasil é um país privilegiado, pois há em seu vasto território recursos em abundância, sejam minerais, hídricos e vegetais.  Talvez não tenha sido por acaso que a Umbanda surgiu por aqui.  Os Orixás da Umbanda vinculam-se às forças da natureza e, assim, o ar é de Oxalá, as pedreiras são de Xangô, o mar azul é de Iemanjá, os rios e cachoeiras são de Oxum, as chuvas de Iansã, as matas e a fauna de Oxóssi, os metais ferro e manganês de Ogum.

Além da natureza, outro elemento fundamental para entendermos a Umbanda é o povo brasileiro. Nosso povo possui, na sua formação, uma enorme religiosidade. A miscigenação, entre estrangeiros e nativos, nos trouxe, entre outras dádivas, nossa criatividade.  Nossa alegria brota das Crianças, a religiosidade e simplicidade e a religiosidade dos nativos, a humildade e musicalidade dos Negros. Daí o resultado da tríade da Umbanda: Crianças (pureza), Caboclos(simplicidade) e Pretos Velhos (humildade).   O brasileiro tem as feições de todo o planeta, razão pela qual ensinaremos a espiritualidade para o mundo, essa espiritualidade brota da Umbanda.

Falemos então das energias. A Umbanda manipula as energias naturais, assim, pelo fato de em nosso país ter um enorme potencial energético, estamos preparados para toda uma programação astral em que essas energias serão trabalhadas em prol da humanidade e do planeta.  Caso continue o ritmo de consumo e a destruição da natureza, em breve os recursos serão escassos e logo a população humana poderá sucumbir (e isso é preocupante!)  

A poluição dos rios, dos mares, a falta de recursos vegetais, a extinção das espécies animais, a queima de combustíveis fósseis e a diminuição da camada de ozônio e o conseqüente derretimento das calotas polares com profundas alterações climáticas são desequilíbrios que devem ser minimizados e que todos nós podemos contribuir diariamente.

Sempre é bom lembrar que umbandista respeita o meio ambiente, não pratica sacrifícios animais e, sua profunda ligação com a natureza e suas energias o fazem um defensor de primeira ordem do nosso meio.  

Assim, preservar a natureza é fundamental, pois a sobrevivência do planeta está em jogo. Escolha produtos biodegradáveis e naturais para suas oferendas e obrigações. Discuta estes temas em seu Terreiro, conscientize; seja agente motivador e modificador em prol do meio que nos cerca!


Baseado e adaptado de artigo escrito por Claudio Henrique de Castro

A Umbanda e a Natureza

A Umbanda está ligada diretamente com a natureza e com os seres que dependem dela. Há uma visão errônea de muitos de que o meio ambiente só envolve a natureza em si (parques, áreas verdes, etc), mas o meio ambiente é um termo mais amplo, utilizado para todo o meio no qual vivemos. 

Nós, umbandistas, o que podemos fazer para melhorar isso?

24 de nov de 2015

Manifestações Artísticas na Umbanda

A arte já foi fonte de estudo de diversos autores clássicos:

Karl Marx, que dizia que a arte somente poderia ser estudada no contexto da história, do trabalho e da indústria, pois o modo de produção seria decisivo para a vida social e intelectual; 

Sigmund Freud, que estabelecia a arte como função social que tem responsabilidade de ser mediadora, de promover a adaptação do indivíduo e garantir o equilíbrio das sociedades;

Michael Foucault, entendeu a arte na sociedade moderna como portadora de um discurso trágico, uma experiência até certo ponto negativa e radical, que provocaria alterações, deslocamentos e transposições; daí então a contiguidade com a loucura, e a aparente ausência de sentido;  

Umberto Galimbert, que concluiu que afastar o homem da expressão espiritual propiciada pela arte equivaleria a limitá-lo a condição animal; da mesma forma a arte em sua materialidade não existiria sem o homem, estaria restrita ao domínio do espírito.

Firmezas, Assentamentos e Tronqueiras

Firmezas, assentamentos e tronqueiras são maneiras que os Umbandistas utilizam de canalizar e trabalhar energias diversas tanto em rituais quanto no cotidiano de terreiros.

Sem firmar e assentar energias é muito arriscado dar sequência a um trabalho caritativo. Pois a finalidade desses processos é justamente o de proteger dirigentes, médiuns e consulentes de uma Seara dos riscos que envolvem a atuação dentro do universo espiritualista.

Existem diferenças claras entre firmezas, assentamentos e tronqueiras. Clique nos links abaixo e veja o que é e significa cada um deles:





Ervas para cada Orixá

Na Umbanda, utiliza-se litúrgica e ritualisticamente, as ervas de nossa flora para amacís, imantações, banhos de descarga, etc.

Clique nos links abaixo e veja as Ervas de cada Orixá:




23 de nov de 2015

Em Mariana/MG, padre cede igreja para culto evangélico

Diante da tragédia ocorrida, muitos moradores perderam tudo o que tinham e precisarão iniciar uma nova vida.

O Bispo Josep Rossello, da Primeira Igreja Batista de Mariana, disse que o templo da igreja foi totalmente destruído pela lama proveniente do rompimento das barragens.

Quando ninguém esperava, eis que surge um ato inusitado por parte de um padre católico da cidade. Em meio ao caos, o religioso fez as pessoas acreditarem que é possível vivermos em um mundo onde o amor e a solidariedade falem mais alto do que as crenças e as denominações religiosas.

O padre disponibilizou uma paróquia para que os irmãos da PIB – Primeira Igreja Batista de Mariana-MG possam cultuar a Deus.

Ele explicou que, nesse momento de tristeza e dor, a missão de todos os cristãos e filhos do mesmo Deus, é acolherem uns aos outros como Cristo fez.

O gesto fez que católicos e evangélicos se unissem no momento de solidariedade. Os cultos tem sido motivo de alegria para ambos os grupos e até mesmo o padre tem participado dos cultos da Igreja Batista.

“Tem sido uma bênção”  relatou um fiel da igreja Batista. “Temos sentido verdadeiramente o amor de Deus nos unir nesses últimos dias.”


Fonte. diariodobrasil.org

Zé Pelintra: Malandro ou Marginal?

Esta é uma questão fundamental para entendermos de uma vez por todas o mistério de Sr. Zé Pelintra.
Se você procurar a palavra Pelintra no dicionário , lá estará:

Significado de Pelintra;

s.m. e s.f. Pessoa pobre e mal trajada, com pretensão a exibir-se e desejo de ostentação. Adj. Mal trajado e pretensioso. Bras. Adamado; bem trajado.
Fonte: Dicionário online português

Esta é uma definição literal e ajuda a confundir a cabeça de todas as pessoas que tentam entender Zé Pelintra ao pé da letra.

5 dores de crescimento comuns da ascensão espiritual

Para aqueles de nós que nos encontramos viajando em um caminho espiritual, pode ser muito comum a experiência de algumas “dores de crescimento” em nossa jornada.

As coisas que ferem apartando-nos de crenças, mas que sempre resultam em mais clareza, sabedoria e uma perspectiva mais profunda. A identificação dessas lutas comuns do caminho espiritual pode ser útil. Isso nos faz perceber que não estamos sozinhos, e que há certas energias arquetípicas que todas as pessoas em um caminho espiritual acabam encontrando.

Se você estiver enfrentando algumas destas lutas, tenha fé. A mudança está ocorrendo porque você está tornando-se uma pessoa mais autêntica e conectada. A dor que você sente é apenas um catalisador temporário que irá impulsioná-lo para o seu novo eu.

Como você muda, é natural lamentar-se da perda de aspectos do seu eu anterior. Não se apegue à sua velha identidade em sua mente. A chave para lidar com as dores do crescimento no caminho da ascensão espiritual é aceitar o fluxo da vida e trabalhar com a realidade, e não contra ela.

Aqui estão 5 dores de crescimento comuns de ascensão espiritual que todos nós experimentamos:

Medicina reconhece obsessão espiritual

Ouvir vozes e ver espíritos não é motivo para tomar remédio de tarja preta pelo resto da vida.  Uma nova postura da medicina frente aos desafios da espiritualidade já pode ser verificada.  Vejam que interessante a palestra do Dr. Sérgio Felipe de Oliveira, médico psiquiatra que coordena a cadeira de Medicina e Espiritualidade na USP:

A obsessão espiritual como doença da alma, já é reconhecida pela Medicina. Em artigos anteriores, escrevi que a obsessão espiritual, na qualidade de doença da alma, ainda não era catalogada nos compêndios da Medicina, por esta se estruturar numa visão cartesiana, puramente organicista do Ser e, com isso, não levava em consideração a existência da alma, do espírito. No entanto, quero retificar, pois desde 1998 a Organização Mundial da Saúde (OMS) incluiu o bem-estar espiritual como uma das definições de saúde, ao lado do aspecto físico, mental e social. Mas, após a data mencionada acima, ela passou a definir saúde como o estado de completo bem-estar do ser humano integral: Biológico, psicológico e espiritual.

A Bíblia da Umbanda

Perguntaram-me qual era a Bíblia da Umbanda, ao que respondi: a Natureza!  Insistente e sem entender, o interlocutor ainda “desafiou”: – Mas como você conhece a palavra do Senhor?

Respondi: – Não sei como são suas palavras, assim como se estivessem num livro, mas conheço sua obra, que me parece mais importante.

– Mas as Leis do Senhor estão na sua Palavra, a Bíblia! – irritou-se o “curioso”.

– Leis? Também vejo com clareza na sua obra. – limitei-me.

– Você é iludido e confuso! Leia a minha Bíblia e conhecerá a Palavra e salve-se! – revelou-se o “curioso” em toda sua nudez emocional.

Tentei respirar fundo, mas sem me controlar, repliquei:

– Meu caro “irmão”: para nós, umbandistas, a natureza é nosso livro sagrado. Nela lemos a obra do Criador, a vida exuberante e excelente; nas cachoeiras vemos o seu amor e compaixão; nas matas vemos a sua sabedoria e alimento; nos campos vemos sua sobriedade e nos mares a doação contínua de vida para que a mesma flua deste planeta. Quando compreendemos estas escrituras, passamos a nos relacionar com integração a esta verdade e, o passo seguinte, é aprender sua Lei Sagrada, Lei esta que nos ensina que para viver em plenitude e harmonia é preciso respeitar estas escrituras, a natureza, amar toda forma de vida e doar-se para auxiliar quando algum desequilíbrio invade a fluência natural das coisas. É me respeitar respeitando o próximo em toda sua particularidade independente das minhas convicções; é render culto a esta natureza, reverenciar a vida e amar o próximo não sem antes aprender a me amar. 
Aprendemos por simples observação desta Obra; Ele está em tudo e em todos, pois é o Criador e a Criadora, é compreendido de forma peculiar em cada cultura, em cada novo tempo, em cada agrupamento humano. Que tem muitos nomes e muitas formas, que nenhum está errado e que suas religiões são suas formas individuais de convencer-nos que muitos são os caminhos para o mesmo destino e que toda sua Obra não cabe em todas as páginas de todos os livros de todas a bibliotecas do mundo, pois ali temos uma parte humana Dele, que é muito mais do que somos capazes de interpretar.
Para nós, os versículos são os dias, os provérbios são nossas ações e os cânticos é a Vida!
O irmão, entendeu agora?


Por: Rodrigo Queiroz

22 de nov de 2015

Formatação da Falange de Pretos Velhos na Umbanda

Depois de mortos, passaram a surgir em lugares adequados, principalmente para se manifestarem. Ao se incorporarem, trazem os Pretos-Velhos os sinais característicos das tribos a que pertenciam.

Os Pretos-velhos são nossos Guias ou Protetores, mas no Candomblé, são considerados Eguns (almas desencarnadas), e decorrente disso, só têm fio de conta (Guia) na Umbanda. Usam branco ou preto e branco. Essas cores são usadas porque, sendo os Pretos-Velhos almas de escravos, lembram que eles só podiam andar de branco ou xadrez preto e branco, em sua maioria.

Temos também a Guia de lágrima de Nossa Senhora, semente cinza com uma palha dentro. Essa Guia vem dos tempos dos cativeiros, porque era o material mais fácil de se encontrar na época dos escravos, cuja planta era encontrada em quase todos os lugares.

O dia em que a Umbanda homenageia os Pretos-Velhos é 13 de maio, que é a data em que foi assinada a Lei Áurea (libertação dos escravos).

21 de nov de 2015

Técnicas para alcançar estados alterados de Consciência

Desde as experiências psíquicas com o uso de drogas psicodélicas levadas adiante por personalidades como Aldous Huxley, Timothy Leary, entre outros, ocorreu uma explosão no uso desse tipo de substância por parte de quem busca "expandir os horizontes de sua mente".

Na verdade, esse tipo de "estado alterado de consciência" é conhecido desde tempos imemoriais, sendo que inúmeras são as drogas capazes de provocar essas alterações na mente - mas também várias são as técnicas para se obter essa "mudança na mente sem o uso de droga alguma. Todas as civilizações primitivas conheciam e faziam uso regular de substâncias alteradoras psíquicas.

Até hoje, povos primitivos de todos os continentes se utilizam liturgicamente de plantas de poder e outras substâncias mágicas de forte efeito sobre a mente.

20 de nov de 2015

5 dicas para tornar-se uma pessoa melhor a cada dia














Você não reencarnou a passeio. Reencarnou para cumprir objetivos evolutivos e aprendizados vários.

Portanto, é necessário assumir sua responsabilidade com sua vida e tomar as rédeas das suas decisões.
Você deve inovar, gerar novas qualidades, novos aprendizados e renovar sua capacidade de ser justo.

Você não reencarnou a passeio. Mas, se evoluir, encontrará paz e satisfação que irão acalentar sua alma.

Não existe forma mais simples e eficiente de evoluir do que assumir plena responsabilidade pela própria vida e pelos resultados de suas ações.

O oposto da plena responsabilidade pessoal é o sentir-se vítima das circunstâncias e o desejo de colher o que não plantou da forma correta.

“Os homens semeiam na Terra o que colherão na vida espiritual: os frutos de sua coragem ou de sua fraqueza”. Allan Kardec

Abaixo cinco posturas que devem ser evitadas por todos aqueles que querem evoluir cada vez mais, todos os dias:

Pesquisa revela poder da energia liberada pelas mãos

Energia liberada pelas mãos consegue curar malefícios, afirma pesquisa da USP.

Um estudo desenvolvido recentemente pela USP (Universidade de São Paulo), em conjunto com a Unifesp (Universidade Federal de São Paulo), comprova que a energia liberada pelas mãos tem o poder de curar qualquer tipo de mal estar. O trabalho foi elaborado devido às técnicas manuais já conhecidas na sociedade, caso do Johrei, utilizada pela igreja Messiânica do Brasil e ao mesmo tempo semelhante à de religiões como o espiritismo, que pratica o chamado “passe”. 

20 de Novembro - Dia da Consciência Negra

Em 20 de novembro comemora-se no Brasil o Dia da Consciência Negra. Mas você sabe o motivo de escolha dessa data?

Foi nesse dia, no ano de 1695, que morreu Zumbi dos Palmares. Este foi a liderança mais conhecida do chamado Quilombo dos Palmares, que se localizava na Serra da Barriga, atual estado de Alagoas. A fama e o símbolo de resistência e força contra a escravidão mostrado pelos palmarinos fizeram com que a data da morte de Zumbi fosse escolhida pelo movimento negro brasileiro para representar o Dia da Consciência Negra. A data foi estabelecida pela Lei 12.519/2011.

A História do Hino da Umbanda

O hino da Umbanda é cantado em todos os terreiros, pode-se dizer que é uma das únicas coisas que todos terreiros tem em comum, e não há algum umbandista que não se emocione quando é cantada esta melodia.

Nascido em 05 de Agosto de 1907 em Monção, Portugal, José Manuel Alves, este Leonino, já em sua terra natal era ligado a Música, tendo dos 12 aos 22 anos tocado clarineta na Banda Tangilense, em sua cidade natal.

Com pouco mais de 20 anos, em 1929, vem para o Brasil, indo residir no interior do estado de São Paulo. No mesmo ano, mudou-se para a capital paulista, ingressando na Banda da Força Pública, onde ocupou vários postos, aposentando- se como capitão.

Características dos filhos de Obá

Obá é um Orixá ligado à água, guerreira e pouco feminina. As suas roupas são vermelhas e brancas, usa um escudo, uma espada e uma coroa de cobre.

O tipo psicológico dos filhos de OBA, constitui o estereótipo da mulher de forte temperamento, terrivelmente possessiva e carente, é mulher de um homem só, fiel e sofrida. São combativas, impetuosas e vingativas.

Obá é a mulher consciente do seu poder, que luta e reivindica os seus direitos, que enfrenta qualquer homem – menos aquele que tomar o seu coração. Ela abraça qualquer causa, mas rende-se a uma paixão. Obá é a mulher que se anula quando ama.

Obá filha de Iemanjá e Oxalá. Em toda a África Obá era cultuada como a grande deusa protetora do poder feminino, por isso também é saudada como Iyá Agbá, e mantém estreitas relações com as Iya Mi. Era uma mulher forte, que comandava as demais e desafiava o poder masculino.
Embora Obá se tenha transformado num rio, é uma deusa relacionada ao fogo.

Obá é saudada como o Orixá do ciúme, mas não se pode esquecer que o ciúme é o corolário inevitável do amor, portanto, Obá é um Orixá do amor, das paixões, com todos os dissabores e sofrimentos que o sentimento pode acarretar. Obá tem ciúme porque ama.

Características dos filhos de Nanã Buruquê


Pouco cultuada em alguns terreiros, a orixá Nanã é avó desde sempre, sendo sincretizada com Santa Ana, mãe de Maria, é homenageada em 26 de julho.

Nanã é muito exigente na escolha de seus filhos. Na Umbanda são raros os homens que a têm como guia principal, mas não se pode dizer que não existam alguns. Não é, também, das figuras mais femininas, característica que empresta a suas filhas, e é conhecida como a mais velha das deusas das águas paradas, da lama e do barro.

Nanã é homenageada em 26 de julho, dia de Santa Ana, mãe de Maria.

Seus domínios, contudo, são locais onde a terra e a água se encontram como pequenos rios, lamaçais, ribeirões e mangues. Também locais tranquilos onde é possível repousar e exercitar a paciência.
A mãe de Omulu e Oxumaré é, ainda, responsável pelos portais do ciclo da vida: encarnação, desencarnação e reencarnação.

Paciência e compreensão são características muito presentes nos filhos de Nanã, seguidas por perdão e tolerância típicos de uma avó muito carinhosa e cuidadora. Normalmente vivem em função de praticar o bem, preocupadas com o bem-estar da família e da comunidade.

19 de nov de 2015

Características dos filhos de Obaluaê

Orixá das doenças e da cura, Obaluaê (manifestação jovem - guerreiro, caçador, lutador) ou Omulu (manifestação velha - sábio, feiticeiro, guardião), como é mais conhecido, representa a manifestação de Deus entre o mundo terrestre e o espiritual. Temido na maioria dos terreiros, sua fama como senhor das pestes, das doenças contagiosas ou não, ele, na verdade, é o médico dos pobres. 

Reza a lenda que era filho de Nanã, que o abandonou por ser doente, sendo criado por Iemanjá que o alimentava com pipoca sem sal acrescida de mel para melhorar o gosto, e passava azeite de dendê em suas feridas para aliviar a dor e coceira. 

Sua representação visual é revestida de mistério, pois é o Orixá que cobre o rosto com o Filá (de palha da Costa). É proibido ver o seu rosto devido à deformação feita pela doença e pelo respeito que devemos a esse poderosíssimo Orixá. 

Características dos filhos de Oxum

Oxum é o Orixá da fertilidade. Simboliza o amor, a união e o casamento. Seu elemento é a água doce e está presente nos rios, lagos, fontes, cachoeiras e regatos. O dia da semana consagrado a Ela é o sábado.

Ela protege as mães e as crianças, cuidando de nutrir, zelar e proteger todos que necessitam de seus cuidados. Por associação as fases da lua, é um pouco volúvel em suas vontades, refletindo novas faces a todo o momento. Sua palavra-chave é: fertilidade.Está sempre preocupado com o conforto das pessoas que o cerca, querendo atender suas necessidades. A graça e as boas maneiras e a sensibilidade e a compaixão são seus atributos, já que é muito dedicado ao próximo. Dotado de boa memória, veremos que este atributo será marcante em suas ações, pois os filhos de Oxum não esquecem o passado.

Magoar um filho de Oxum é fácil, qualquer grosseria ou gesto mais brusco o deixa muito ofendido. Quando se entristece, derrama toneladas de lágrimas e tristezas em torno de si. Toda a pessoa filha de Oxum é mãe. Tanto homem, quanto mulher vai cuidar de seus filhos como mãe, é comodista e apegado ao que lhe pertence, seja objeto, ou amor. É extremamente teimoso, quando desaprova algo nada o faz mudar de ideia, tornando-se resistente e desconfiado. Não gosta muito de ir ao médico e quando se sente doente deixa a doença tomar conta, até ficar realmente mal, para então pedir socorro. 

Características dos filhos de Oxóssi

Oxóssi é o Orixá da caça, do verde, das matas, é o Orixá da fartura, o grande caçador é ele quem traz para o homem as plantas curativas. De natureza telúrica vibra sobre tudo que nasce sobre a terra, exceto as plantas tóxicas e venenosas.

É um vencedor,  traz para o povo a sobrevivência, a fartura, a cura das doenças pela natureza, a saúde plena.

O povo da Bahia ligou Oxóssi a São Jorge, festejado em 23 de abril. No Rio de Janeiro, em São Paulo e no sul do País ele foi sincretizado com São Sebastião e seu dia é 20 de janeiro. Seu dia é a quinta feira, sua cor é o verde misturado ao branco. Podemos estabelecer uma associação entre Oxóssi e Mercúrio, o Deus romano do comércio, bem como seu correspondente grego Hermes. Todos eles representam mudanças, o movimento, tudo o que é novo e vibrante. Ligado as alterações mentais e físicas, Oxóssi é o constante movimento da natureza, que está sempre em evolução.

A liberdade e a independência são importantes para seus filhos que prezam muito sua autonomia e são infelizes quando tolhidos. Um aspecto negativo de sua personalidade é a sua indiscrição em relação as outros e a vida alheia.

Pela sua conotação mercuriana Oxóssi pode ser associado ao Arcano II do Tarô, os Enamorados. “A primeira relação que pode ser estabelecida refere-se a uma prova vencida, àquele que foi testado e conseguiu provar seu valor, encontrando dentro de si a força para enfrentar a dúvida: ”sou ou não capaz?”.

Inconstante muda muito de interesse e tem tendência a se deixar seduzir pela novidade. O conflito que o Arcano indica acima refere-se muito mais as decisões emocionais do que materiais. Seus filhos envolvem-se com suas emoções e transformam-se através delas. Tem o dom da comunicação, suas mudanças são discutidas, analisadas a nível consciente e realizam a cura de seu ego ambíguo.


Características dos filhos de Oxumaré

Oxumaré a cobra/arco-íris,  orixá masculino, símbolo da continuidade e da permanência. Representa a riqueza e a fortuna. Rege o princípio da multiplicidade da vida, transcurso de múltiplos e variados destinos.

É o segundo filho de Nanã, irmão de Ewá e Omolú/Obaluaiê seu irmão mais velho, e Ossaim seu irmão mais novo.

Pode ser representado pela serpente que morde a própria cauda. Ele é o senhor de tudo que é alongado. O cordão umbilical que está sob o seu controle, é enterrado, geralmente com a placenta, sob uma palmeira que se torna propriedade do recém-nascido, cuja saúde dependerá da boa conservação dessa árvore.

Oxumarê é sincretizado com São Bartolomeu. Segundo fontes históricas, São Bartolomeu teria pregado o cristianismo até na Índia.

Outra tradição diz que o apóstolo morreu por esfolamento em Albanópolis, atual Derbent, Cáucaso, a mando do governador, tanto que na Capela Sistina ele é pintado segurando a própria pele na mão esquerda e na outra o instrumento de seu suplício, um alfange.
Homenageado pela igreja católica no dia 24 de Agosto.

Características dos filhos de Ogum

Ogum é um poderoso Orixá, dono do ferro e do fogo. Ele é um guerreiro, um lutador que defende a lei e a ordem. Este Orixá abre os caminhos e vence as lutas, agindo pelo instinto para defender e proteger os mais fracos. Todas as lutas, as conquistas, as vitórias são presididas por Ogum.

Ele é a lei divina em ação, que pune e premia, mas não gosta de ser invocado em vão. É fácil invocar Ogum, mas controlar as suas ações é impossível.

O dia da semana consagrado a Ogum é a terça-feira, que coincide com o dia dedicado pelos romanos a Marte, o deus da guerra. Sempre ligado à força e ao poder, ele é o dirigente que não quer ter suas ordens desobedecidas. Ogum pode ser associado ao arcano IV do Taro: o Imperador; como esse arcano ele encarna a vontade firme aliada a força de execução, as energias fluindo para uma realização material. Ele protege seus domínios de forma consciente, seguro do poder que representa. Enfocado como arquétipo, Ogum contém elementos fortes e consistentes que o mantém como uma figura viva e atuante na esfera psíquica do homem.

18 de nov de 2015

Casal de babalorixá e evangélica dá lição de tolerância religiosa

Sandro e Márcia estão juntos há vinte anos. Casaram no civil e tiveram três filhos. Dia desses, o filho mais velho do casal, com 16 anos, fotografou os pais um ao lado do outro. Sandro gostou do resultado. Pegou as imagens e divulgou nas redes sociais. Rapidamente, a postagem ganhou repercussão. As fotos tocam em um ponto polêmico em qualquer parte do mundo: a religião. Ele, babalorixá, e ela, evangélica. Ambos negros, defendem a convivência pacífica e respeitosa entre pessoas de crenças diferentes. São uma exceção à regra. Um exemplo de sabedoria.

Características dos filhos de Iansã

Quem é Iansã? É a senhora dos ventos, das tempestades. É altiva, poderosa, guerreira; Iansã tem a força que aplaca os raios e os trovões. É  valente e briguenta, não aceita ordens nem escuta desaforos. É independente, nunca se deixa dominar, só obedece a si própria. Seu temperamento é sensual e autoritário. É o único Orixá com poder para controlar a ação de espíritos negativos. Junto com Omolu  é a dona dos cemitérios sua cor é o amarelo escuro , é sincretizada  com Santa Barbara, festejada em 4 de dezembro. Seu dia na semana é segunda- feira , mas nas quartas-feiras também é cultuada, talvez por sua relação com Xangô.

Iansã pode ser ligada ao arcano do tarô a Imperatriz, ela representa como Orixá, a mulher que pode governar dentro da realidade terrena, ligando o espírito com a carne. Esse arcano sugere uma ligação espiritual pelo emblema da águia no escudo que carrega. A conotação material é maior que a espiritual, pois o arcano traz entre outros significados, a mensagem das riquezas  e da fartura como forma de contentar o espírito. Na mitologia grega esse Orixá é representado por Juno ou Hera, deusa combativa da guerra. A palavra chave de Iansã é oculto.

Características dos filhos de Oxalá

Oxalá é o orixá associado à criação do mundo e da espécie humana.
Apresenta-se de duas maneiras: moço (chamado Oxaguiã) e velho (chamado Oxalufã). 
Os símbolos de Oxaguiã são uma idá (espada), “mão de pilão” e um escudo; o símbolo de Oxalufã é uma espécie de cajado em metal, chamado opaxorô. A cor de Oxaguiã é o branco levemente mesclado com azul-turquesa; a de Oxalufã é somente branco. O dia consagrado para ambos é a sexta-feira.
Sua saudação é ÈPA BÀBÁ! Oxalá é considerado e cultuado como o maior e mais respeitado de todos os Orixás do panteão africano. Simboliza a paz, é o pai maior nas nações das religiões de tradição africana. É calmo, sereno, pacificador; é o criador e, portanto, é respeitado por todos os Orixás e todas as nações. A Oxalá pertencem os olhos que vêem tudo.

Características dos filhos de Iemanjá

Iemanjá é a senhora do mar, é o próprio mar divinizado, representa a beleza, a família, a maternidade e o amor. Suas funções mágicas vêm de épocas remotas, pois todas as civilizações antigas sempre endeusaram a mulher e seus atributos. 

Ela é a mãe dos peixes, reverenciada pelos pescadores que a associam a Nsa dos Navegantes e fazem procissões de barcos em sua homenagem, sincretizada também a Nsa da Gloria festejada em 15 de agosto e a Nsa das Candeias ou da Candelária festejada em 2 de fevereiro, e também a Nsa de Aparecida. 

Mas a homenagem mais representativa da devoção do povo brasileiro a este Orixá ocorre em 31 de dezembro quando milhares de pessoas em todo litoral brasileiro, aproveitando a festa da passagem de ano a homenageiam com presentes que são lançados ao mar. 

Sua saudação é “Odoyá Iemanjá” ou “Marabô Doyá Iemanjá” ou mesmo “Odociabá Iemanjá”. Seu dia na semana é o sábado, na mitologia romana pode ser considerada correspondente a Vênus, na grega a Afrodite. Seus elementos na natureza são a água do mar, o cristal e a prata, além da lua. Sua cor na Umbanda é o azul claro. 

No Tarô tem ligação com o Arcano XVII a Estrela, que indica um momento de esperança. Coincidentemente a estrela de cinco pontas aparece com muita freqüência nos pontos riscados por entidades que trabalham nessa linha.

Características dos filhos de Xangô

Xangô é o Orixá dos reis, dos justos e dos poderosos. Ele próprio foi um rei guerreiro que conquistou reinos e enriqueceu seu povo. O seu trabalho entre os homens é cobrar de quem deve e premiar a quem merece, agindo sempre com sabedoria, justiça e poder.

Este Orixá é vaidoso, violento e atrevido. Gosta de festas e comemorações. É o Orixá do raio e do trovão, o seu elemento é a pedra.

No sincretismo os africanos o ligaram a São João Batista a São Pedro e a São Jerônimo. Conforme a região do Brasil, Xangô é sincretizado a um destes três, em algumas regiões, como o Rio de Janeiro, a dois simultaneamente (São João Batista comemorado a 24 de junho e São Jerônimo comemorado a 30 de setembro).

Seu dia na semana é a quarta feira sua cor na Umbanda é o marrom. Na mitologia romana é Júpiter, o pai e mestre dos deuses, para os gregos é Zeus, aquele que usava seus raios para punir os mortais, esta correspondência pode ser feita pelo poder supremo que ambos encarnam. No Tarô há uma lâmina que contém o principal arquétipo de Xangô, é a Justiça representada pelo arcano VIII, que é quem encarna a recompensa justa, a distribuição do prêmio e do castigo. A espada de ouro que a justiça carrega assim como o Orixá em sua representação simboliza as lutas necessárias para se conseguir o equilíbrio, que a balança na outra mão indica ser possível.

A palavra de Xangô é a Justiça

12 de nov de 2015

Viver é Mágico!!!


Estar vivo, aqui e agora é uma oportunidade única.

Saber que somos eternos não deve nunca significar que futuramente teremos a oportunidade de refazer e arrumar o que hoje nós erramos...

"Viver é tudo", com as dores e os traumas, com os pesos e dissabores, há sempre uma Esfera em nossa existência esperando que a olhemos, que notemos ela nos detalhes mais pequenos do dia a dia... E essa esfera está no nosso pulsar, nas nossas entranhas, naquilo que não depende de mera aceitação ou de automatismos sociais.. Está na nossa liberdade de escolha em não só tomar um café pela manhã, mas sim em nos encantarmos com seu aroma dando vida ao ambiente; em não só escutar os barulhos ao redor, mas procurar ouvir o que realmente desperta nosso interesse e religa nossa alma a sublimidade das coisas, seja com músicas, com conversas edificantes, ou até com os passarinhos lá fora; está num copo d'água, num sorriso, numa gentileza..

Essa Esfera aguarda ansiosamente nosso despertar todas as manhãs depois dos nossos sonhos, para que percebamos que dentro da história gigantesca da Humanidade, da Terra e do Universo nós somos hoje (agora!!!) os Deuses de nossas próprias vidas, e nossa fé a força que ajuda a Deus remediar o mundo que gira sem nunca voltar para trás...

Que tudo se perca; mas que nunca percamos a nós mesmos... Pois ligados a nossa Esfera de Fé e Esperança podemos, mesmo com limitações materiais, viver uma vida plena, digna, intensa em saber que cada dia a ser vivido é um milagre a se concretizar... 

Viver é mágico!!!  Que Olorum ilumine nossas vidas!!



n smile









9 de nov de 2015

Os nomes de Pomba Gira na Umbanda e sua interpretação

Falar sobre os nomes das entidades de Umbanda evoca o estudo de alguns conceitos e a quebra de tabus, dogmas e paradigmas relacionados aos nomes das entidades.

Há quem acredite que com sua data de nascimento seja possível identificar quais são seus Guias espirituais. há quem acredite que exista um número limitado de nomes de pombagiras. Há quem acredite que exista apenas um único Orixá feminino. Há quem acredite em muitas coisas quando o assunto é Umbanda.

8 de nov de 2015

5 Tipos de Vampiros Emocionais

Vampiros emocionais, eles estão por toda parte, sempre com o mesmo conto. De início, parecem ótimos e confiáveis, mas depois, sugam sua energia vital. Não correspondem, só absorvem o que há de bom nas relações.

Nossos vínculos, dependem da forma como os alimentamos, se um lado alimentar com inveja, revolta e reclamações, certamente a relação se tornará pouco saudável e prejudicial ao espírito.
A verdade é que o perigo de pessoas tóxicas, está sempre à espreita, acabamos tendo que buscar métodos de defesa.

7 de nov de 2015

Hinduísmo e sua Simbologia

O Hinduismo é muito rico em simbolismo. Muitos símbolos são considerados auspiciosos e emblemas são colocados nas casas e templos para atrair fortuna e boa sorte. Os principais simbolos são: Om, Swastika, Lotus, Bindi, Trishula (Tridente), Yantra, Vaca, Concha, Divya, Linga, Mãos em oração (Namastê), Pratik e Tilak.

4 de nov de 2015

Os nomes de Exu na Umbanda e sua interpretação

Existe uma grande curiosidade sobre a força e regência na qual nossos Exus trabalham, pois todos estão atuando no campo de um ou mais Orixás. É importante dizer que não importa qual é o Orixá do médium, seu Caboclo ou sua hora de nascimento; estas informações podem ajudar, mas não são determinantes para identificar com qual exu este médium trabalha.

Para interpretar os nomes, precisamos da chave interpretativa, que é a correta relação entre os elementos dos nomes e seus orixás correspondentes. Por exemplo, se montanhas são de Xangô, Exu Montanha é de Xangô e Exu Sete Montanhas é de Xangô trabalhando nas Sete Vibrações/ Linhas de Umbanda.

3 de nov de 2015

Revolução Umbandista

Umbanda sempre foi e sempre será: paz, amor e caridade. Seu fundamento básico nunca muda: “Umbanda é a manifestação do espírito para a prática da caridade”.

Creio que nunca será demais repetir essas palavras, que são do primeiro umbandista, Zélio de Moraes, incorporado do Caboclo das Sete Encruzilhadas, em 1908. Essa é a nossa base fundamental, nosso alicerce, nossa unidade, que se completa com essa frase: “com quem sabe mais vamos aprender, a quem sabe menos vamos ensinar e a ninguém virar as costas”.