15 de out de 2015

Povo Cigano na Umbanda

A Umbanda é uma religião que prega a prática da caridade e do amor ao próximo sobre todas as coisas. Por isso, todos os espíritos que queiram praticar a caridade, independente de suas origens terrenas e de suas encarnações são e serão sempre bem vindos a essa família.

Os ciganos, bem como boiadeiros, marinheiros, baianos e orientais, não faziam parte da constituição inicial apresentada no surgimento da Umbanda. Entretanto, representam hoje, importante falange dentro dos trabalhos regulares das Giras de Umbanda. A falange dos Ciganos no astral cresce dia a dia, pois, cada vez mais, antigos ciganos estão percebendo que o planeta necessita de sua sabedoria sobre seu amor pela natureza e sobre manter o equilíbrio entre os elementos água, fogo, terra e ar.

São entidades que normalmente se manifestam sob domínio da linha do oriente. Isso é possível pelo fato da energia de trabalho ser a mesma, o que muda é a forma de manipular os fluídos, uma vez que os ciganos usam uma relação material, energética, elementar e natural, assim como o povo da esquerda, enquanto que o povo do Oriente manipula esses elementos através de seu magnetismo espiritual.


Se apresentam na forma de espíritos de homens e mulheres que pertenceram ao povo cigano em alguma vida e também como espíritos que foram atraídos para essa linha por afinidade com a magia cigana. Por isso, os ciganos na Umbanda não têm obrigatoriamente que falar espanhol ou romanês, ler cartas ou fazer adivinhações. Há os espíritos ciganos que fazem isso porque já o faziam quando encarnados mas não é uma regra.

Atuam como guias espirituais, de maneira extremamente respeitosa e sempre procuram mostrar o caráter fraterno de seu povo, seu respeito pela família e sua capacidade de repartir o pão. Entendem o ritual umbandista como meio de evoluir, onde podem contribuir com ricas orientações e com a alegria de seus cantos e de suas danças.

Os ciganos são poeticamente denominados “Filhos do Vento”, pois seu povo possui cultura própria, rica e se encontra disperso por todo o mundo, em ampla liberdade. Profundos conhecedores dos caminhos, vêm recolhendo conhecimentos de todas as culturas e tradições por onde passam, tendo estado, em suas andanças, por diferentes países, enriquecendo a sua cultura. Vê-se assim a enorme gama de ensinamentos que  os ciganos colheram ao longo de suas vidas.

Em sua história, o povo cigano sempre despertou muita curiosidade por seus hábitos e costumes muito diferentes daqueles mantidos pelas populações dos lugares pelos quais passavam. A Igreja cristã antiga, durante muito tempo, condenou as práticas que consideravam sobrenatural, como a cartomancia e a leitura das mãos, fazendo com que eles sofressem discriminação e perseguição. Com o tempo, a curiosidade deu lugar ao preconceito e à animosidade. Foram rotulados injustamente como ladrões, feiticeiros e vadios. Em alguns locais chegaram a ser mantidos como escravos, sendo tratados com bastante crueldade. Mesmo assim, este povo continuou sua marcha sempre em busca da liberdade.

Sempre se faz necessário deixar claro que uma coisa é ‘Magia do Povo Cigano’, ou ‘Magia Cigana’, e outra coisa bem diferente são as Entidades de Umbanda que se manifestam nesta linha de trabalho. Existe uma pequena semelhança somente no poder da Magia, mas suas atuações são bem diferentes, pois as Entidades de Umbanda trabalham sob domínio da Lei e dos Orixás, conhecem Magia como ninguém e, principalmente, não vendem soluções ou adivinhações.

Entre as legiões de Ciganos os nomes mais conhecidos são: Cigano Pablo, Wlademir, Ramirez, Juan, Pedrovick, Artemio, Hiago, Igor, Vitor e tantos outros. Da mesma forma temos as ciganas, como: Esmeralda, Carmem, Salomé, Carmencita, Rosita, Madalena, Yasmin, Maria Dolores, Zaira, Sunakana, Sulamita, Wlavira, Iiarin, Sarita e muitas outras também.

Os espíritos que se manifestam como Ciganos na Umbanda não trabalham a serviço do mal ou para resolver nossos problemas a qualquer custo, mas é importante saber que essencialmente eles dominam a MAGIA e preservam a LIBERDADE e, tanto quanto em qualquer outra linha de trabalho da Umbanda, teremos aqueles espíritos que não agem dentro do contexto da Lei, os chamados ‘quiumbas’, que se encontram espalhados pela escuridão e a serviço das Trevas. Portanto, é imprescindível o bom nível espiritual do médium para trabalhar com essa linha para que não atraia esses tipos de espíritos pela Lei da Afinidade.

Os Ciganos usam muitas cores em seus trabalhos, mas cada Cigano tem sua cor de vibração no plano espiritual e uma outra cor de identificação. Uma das cores, a de vinculação vibracional, raramente se torna conhecida, mas a de trabalho deve sempre ser conhecida para prática votiva das velas, roupas, etc.

Existem diversas versões sobre a origem do povo cigano e sobre como eles se espalharam pelo mundo. Contam alguns autores que eles surgiram na Índia, outros que eles vieram do Egito, outros ainda dizem terem os ciganos se desenvolvido principalmente na Europa Oriental, França e Espanha. O que se sabe é que ainda hoje existem diversos grupos ciganos espalhados por todo mundo, nas mais diversas áreas de atuação.

Os Ciganos são dotados de uma sabedoria esplendorosa, trabalham com lindos encantamentos e os fazem por força de seus próprios mistérios, escolhendo datas certas em dias especiais sob a regência das diversas fases da Lua. Na Terra, tem seus rituais específicos e cultuam a natureza, os astros e ancestrais. São peculiares dentro do seu próprio código de ética, honra e justiça, senso, sentido e sentimento de liberdade, contagiando qualquer outro sistema. Como encarnados, eles não têm uma religião definida, se adaptam facilmente à religião dos países onde permanecem. Entretanto os ciganos cultuam seu Deus, conhecido entre eles como Devel. Acreditam na reencarnação. Por isso, para eles a morte não significa o fim. Realizam nos funerais o que chamam de banquete fúnebre, no qual se celebra o aniversário da morte de uma pessoa. Neste dia, a abundância do alimento e das bebidas exprime o desejo de paz e felicidade para aquele que se vai.

Atuam fortemente através da interpretação de oráculos e vibrações pessoais. Outra característica marcante desse povo é a vidência, para a qual utilizam um elemento magístico para atuar sobre o tempo, a memória, os conhecimentos e a cura. Por meio das cartas ou outros suportes materiais como bolas de cristal, estrelas do mar ou simples copos de água, o futuro, o presente e o passado desdobram-se sob suas vistas. Utilizam ainda de outros recursos para ajudarem aqueles que os procuram em busca de auxílio, como ervas, chás e toques curativos.

Dentre os encantos ciganos, um dos mais conhecidos é a leitura das mãos. Porém é importante saber que para esse povo, o verdadeiro cigano, antes de ler a mão, lê os olhos das pessoas (os espelhos da alma) e toca seus pulsos (para sentir o nível de vibração energética). Só então é que interpreta as linhas das mãos. A prática da Quiromancia para o Cigano não é um mero sistema de adivinhação, mas, acima de tudo um inteligente esquema de orientação sobre o corpo, a mente, o espírito, a saúde e o destino.

É muito comum os Ciganos usarem em seus trabalhos moedas antigas, fitas de todas as cores, folha de sândalo, punhal, raiz de violeta, cristal, lenços coloridos, folha de tabaco, tacho de cobre, de alumínio, cestas de vime, pedras coloridas, areia de rio, vinho, perfumes, baralho, espelho, dados, moedas, medalhas e até as próprias saias das ciganas, que são sempre muito coloridas, como grandes instrumentos magísticos de trabalho.

Ainda, é importante saber que esses espíritos são profundos conhecedores sobre o uso de ervas e cristais, banhos de todos os tipos, o uso curativo das cores, imposição de mãos, magnetizações, harmonização emocional, telepatia, hipnose, entre outras técnicas terapêuticas alternativas, que fortalecem energeticamente o indivíduo, ajudando muito nos tratamentos médicos convencionais.

Gostam muito de festas e todas elas devem acontecer com bastante música, dança, frutas, todas que não levem espinhos de qualquer espécie, com jarras de vinho tinto com um pouco de mel e ainda podemos fatiar pães do tipo broa, passando em um de seus lados molho de tomate com algumas pitadas de sal ou mel. Não podemos esquecer: flores silvestres, muitas rosas, velas de todas as cores e, se possível, incenso de lótus. Adoram fogueiras onde dançam e cantam a noite toda, aproveitando do poder das salamandras para consumir todo o negativismo e acender a chama interna de cada Ser.

Os Ciganos têm em Santa Sara Kali as orientações necessárias para o bom andamento das missões espirituais.


Salve o Povo Cigano!


Referências. Nise (CEENC); povociganonaumbanda.blogspot.com

5 comentários:

  1. Optchá! Ciganos lindos!!!

    ResponderExcluir
  2. Boa tarde.

    Tenho uma pergunta, dentro dos trabalhos na Umbanda, pq alguns ciganos homens, usan lenços, outros fitas e outros não cobrem a cabeça, é alguma hierarquia?

    Marco

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá Marco. Não há hierarquia quanto aos espíritos que se enquadram na linha de ciganos para o atendimento caritativo nos terreiros. O que seria interessante notar é a cor desses apetrechos de cabeça, pois cada cor indica sua linhagem. Por exemplo, se for vermelho é de Ogum ou Pomba Gira, se é Azul claro é Iemanjá, etc.

      Excluir
  3. Sugiro corrigir o texto no que concerne a orígem dos ciganos. Já foi comprovado genética e linguisticamente a origem indiana.

    ResponderExcluir