Deixe seu email e receba novidades

26 de mai de 2017

Presságio - Por: Pirro D'Obá




Etimologicamente, a palavra “presságio” se originou do latim “praesagium”, que pode ser interpretado como “agouro”, “pressentimento” ou “conhecimento antecipado de algo”.

Popularmente, os presságios costumam representar sinais de acontecimentos que ocorrerão na vida das pessoas no futuro. Entre alguns dos principais sinônimos de presságio, destaca-se o augúrio, o prenúncio, a previsão, a profecia, o prognóstico, a intuição.

Quando se prevê situações afortunadas e positivas, diz-se que se trata de um “bom presságio”, caso contrário (desgraças e azar) a intuição é definida como um “mau presságio”.

O presságio destaca-se como uma sensação intuitiva e alheia a respeito de alguma causa conhecida, que leva a previsão de acontecimentos que poderão vir a ocorrer no futuro. É em si uma capacidade que algumas pessoas têm de suspeitar, por um instinto particular algum fato que pode vir a acontecer. 

Na psicologia analítica de Carl Gustav Jung, o presságio aparece como sinônimo de intuição. Ou seja, não como um fenômeno isolado, mas sim como componente dentro da estrutura psíquica do homem. Ele definiu o fenômeno de intuição como umas das quatro funções psicológicas.

22 de mai de 2017

O que você sentiu ao pisar a 1ª vez num Terreiro? – Relatos de Irmãos














Por: Fernando Ribeiro (Pirro D'Obá)

Existe um clichê em nossa amada Umbanda quando tratamos de falar sobre as vias pelas quais as pessoas se aproximam de nossa religião e como se sucede essa experiência. Pela “dor” ou pelo “amor”?

Esse clichê pode diminuir em muito a possibilidade de entendemos que na verdade existem muito mais formas de um ser humano se aproximar do nosso chão. Nem todo mundo vem apenas pela dor ou pelo amor. Pois, são tantos magnetismos que nos puxam até o terreiro, são tantos mistérios que envolvem essa esfera, que para explicar o que realmente nos levou a primeira vez a um culto umbandista ficamos até sem palavras.

São sentimentos, pensamentos, reflexões.

18 de mai de 2017

Manifestação de um Político Corrupto Desencarnado


Trabalhamos juntos, eu e Abilinho, num grupo mediúnico durante anos. Abilinho como doutrinador e eu como seu auxiliar. Coube a mim, certa feita, dialogar com um espírito que havia sido político na sua última existência através de um médium psicofônico.

O Espírito comunicante se encontrava atordoado. Gritava enlouquecido e pedia perdão pelas suas faltas.

17 de mai de 2017

Campanha do Agasalho UTHiS! 2017

Nesse inverno, nós do UTHiS participaremos da Campanha do Agasalho junto com as empresas Pró Saúde e a nossa grande parceira logística FRONTMIX.  
A intenção é simples. Levar um pouco de conforto e calor nesse inverno às crianças matriculadas nas creches administradas pela Pró Saúde, que trata-se de uma associação beneficente de assistência social e hospitalar. Para conhecer um pouco mais a respeito é só acessar o link: http://www.prosaude.org.br/oquefazemos.asp/1

Separe aquela blusinha, aquele cobertor, o que tiver disponível e que possa servir aos nossos pequenos. Aproveite essa epoca para praticar uma boa ação.


As entregas serão feitas em horário comercial das 08:00 as 18:00 no endereço abaixo:

> Rua Guaicurus, 563 - Bairro da Água Branca
> São Paulo/SP - Cep. 05033-001
> A/C: Fernando Ribeiro (Setor de Compras)

Se liguem nas datas!!
Contamos com vocês... Um grande abraço fraterno e muito Axé!!!

16 de mai de 2017

Omolu; Teogonia de Umbanda - Por: Rubens Saraceni


Deus tanto cria e gera quanto paralisa a criação que não mais atende aos seus desígnios e paralisa a geração que não atende à sua vontade. Essa sua qualidade paralisante é um recurso para paralisar tudo e todos que estiverem criando ou gerando em sentido contrário (desvirtuado) ao que Ele estabeleceu como correto (virtuoso).

E aí surge Omolu, divindade unigênita gerada nessa qualidade de Olorum, que o tornou em si mesmo esse seu recurso paralisador de toda a criação ou geração desvirtuada.

Yemanjá; Teogonia de Umbanda - Por: Rubens Saraceni


Olorum cria e gera em Si mesmo tudo o que existe e tem nesta sua faculdade criativa e geradora uma de suas qualidades, através da qual sua gênese divina vai surgindo e se concretizando, já como o meio e como os seres que nele vivem.

A qualidade genésica do divino criador é a fonte da vida e das coisas que dão sustentação a ela.

Nanã Buruquê; Teogonia de Umbanda - Por: Rubens Saraceni


Olorum, na sua criação, criou sua qualidade maleável e decantadora, ativando-a contra todos os conceitos errôneos, tirando deles suas "estabilidades" para, a seguir, decantá-los e enterrá-los no lado da ignorância humana a cerca das coisas divinas. Esta sua qualidade dual é Nanã Buruquê.

Obaluaê; Teogonia de Umbanda - Por: Rubens Saraceni


Olorum tudo cria e a tudo gera. Na sua criação está sua estabilidade, e nos seres está sua mobilidade ou evolução incessante.

Estabilidade e evolução, eis a sexta Irradiação Divina que está em tudo e todos, porque é uma qualidade do Divino Criador.

Essa sua qualidade, sua estabilidade, proporciona o meio ideal para os seres viverem, e na sua mobilidade gera os recursos para os seres evoluírem. Sem estabilidade um ser não evolui, pois tem de tê-la em todos os aspectos de sua vida.

Oro Iná (Egunitá); Teogonia de Umbanda - Por: Rubens Saraceni


Como Justiça Divina é o fogo que purifica os sentimentos desvirtuados, então surge uma divindade cósmica ígnea, que é em si mesma, o Fogo da Purificação dos viciados e dos desequilibrados: "Oro Iná (Egunitá)"!

Ela é unigênita porque foi gerada nesta qualidade cósmica do Divino Criador Olorum, e tanto a gera em si como gera de si.

Ogum; Teogonia de Umbanda - Por: Rubens Saraceni


Ogum é sinônimo de lei maior, ordenação divina e retidão porque é unigenito e gerado na qualidade ordenadora do Divino Criador. Seu campo de atuação é a linha divisória entre a razão, a emoção e a ordenação dos processos e dos procedimentos. É o Trono regente das milícias celestes, guardiãs dos procedimentos dos seres em todos os sentidos.

Yansã; Teogonia de Umbanda - Por: Rubens Saraceni


Sempre que a Justiça Divina é ativada, tanto seu pólo passivo quanto seu pólo ativo são ativados, e aí surge Yansã, regente da Lei nos campos da Justiça.

Yansã é a divindade da lei, cuja natureza eólica expande o fogo de Xangô, e assim que o ser é purificado de seus vícios, ela entra em sua vida redirecionando-o e conduzindo-o a um outro campo no qual retomará sua evolução.

Xangô; Teogonia de Umbanda - Por: Rubens Saraceni


Olorum gera tudo de Si, e uma de suas gerações é a Justiça Divina, que dá o devido equilíbrio a tudo o que gera.

Essa sua qualidade equilibradora está em tudo e em todos, e mantém toda a Criação Divina em equilíbrio e harmonia, dando a tudo um ponto de equilíbrio.

Olorum gerou nessa sua qualidade equilibradora de tudo e de todos uma divindade que é em si mesma o Equilíbrio Divino que dá sustentação a tudo o que existe, tanto animado quanto inanimado, surgindo o Trono da Justiça Divina, Divindade unigênita porque é o Orixá do equilíbrio, da razão e do Juízo Divino.

Obá; Teogonia de Umbanda - Por: Rubens Saraceni


Obá é uma divindade cósmica gerada em Deus na sua qualidade concentradora, que dá consistência e firmeza a tudo que cria. Ela é o elemento terra que dá a sustentação e germina em seu ventre terroso todas as sementes do conhecimento.

Ela é uma divindade unigenita que possui um magnetismo negativo, atrativo e concentrador, que polariza com Oxóssi e atua como concentradora do raciocínio dos seres, expandido por ele.

Oxóssi; Teogonia de Umbanda - Por: Rubens Saraceni


O Conhecimento é uma qualidade de Deus e Oxóssi é sua divindade unigênita, pois ele é, em si mesmo, o Conhecimento Divino que ensina todos a conhecerem a si mesmos a partir do conhecimento sobre nosso Criador.

Olorum gerou em si o conhecimento sobre tudo o que criou, e porque tem conhecimento sobre toda a sua criação, então o conhecimento assumiu a condição de uma qualidade sua, à qual ele imantou como um dos mistérios da criação, já que gera em si o conhecimento e é em si onisciente ou conhecedor de tudo e de todos.oxossi

Oxumarê; Teogonia de Umbanda - Por: Rubens Saraceni


Oxumarê é o Trono de Deus que se polariza com Oxum na Coroa Planetária.

O divino Trono da Renovação da Vida é a divindade unigênita de Deus, que é em si mesmo o Orixá que tanto dilui as causas dos desequilíbrios quanto gera de si as condições ideais para que tudo seja renovado, já em equilíbrio e harmonia. Ele é o próprio mistério renovador e diluidor do Criador.